AAS - Acessórios e Auxiliares no Sexo


13/06/2017


Brinquedos eróticos da antiguidade

 

Durante várias escavações entre os anos de 1995 e 2011, os cientistas desenterraram artefatos antigos pertencentes  ao “crème de la crème” da sociedade chinesa desta época. Em destaque na pilha de vasos decorados outros itens um pouco mais curiosos: dildos (próteses) de bronze maciço e plugs anais de jade. Estes objetos, segundo os pesquisadores, pertenciam a homens e mulheres da dinastia Han (206 aC a 220 dC) e datam de 2000 anos.

Aparentemente, embora essas obras de arte fálicas fossem uma descoberta incomum, o uso dessas cintas penetradoras era uma ocorrência bastante comum no círculo da realeza chinesa. Os membros da dinastia Han introduziram o uso destes brinquedos como forma de aumentar o prazer sexual antes mesmo de considerar pisar em sua primeira sex shop, loja de produtos eróticos que só surgiu na Alemanha em 1962.

Segundo o curador da exposição Fan Zhang do Yizheng Musem disse, os objetos foram todos definitivamente feitos para o uso, e podemos especular com base no desgaste que foram bem usados. “Todos eles são feitos sob medida, e os que temos aqui poderiam ter sido atados com couro ou tangas de seda, embora não está claro se eles foram concebidos para homens ou mulheres – eles não são todos maciços ​​ – alguns provável são para um homem, tanto que foi encontrado no túmulo do rei”. Os plugs anais foram utilizados de uma forma mais espiritual, como jade é considerado uma pedra preciosa na cultura chinesa. Assim em vez de fins de prazer sexual, o plug anal de jade foi inserido no corpo post-mortem para manter o espírito intacto e, essencialmente, para impedir qualquer coisa de vazar.

 

 

“Basicamente, é para manter o  chi. O orifício mais importante era a boca, e temos um belo exemplo de um selo bucal, o que seria a mordaça, na forma de uma cigarra na exposição”, finaliza Zhang.

 

Redação final: Acessoria de Imprensa às 12h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico


Patrocinador